• Engenho e Arte

ENG VITOR CÓIAS GANHA MEDALHA RICHARD H. DRIEHAUS PARA A PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO




Um júri internacional decidiu entregar ao engenheiro civil português Vítor Cóias a Medalha Richard H. Driehaus para a Preservação do Património 2020 pelas suas “contribuições significativas”



Na segunda edição da Medalha, o destinatário do reconhecimento foi o Engenheiro Vítor Cóias y Silva pelo impacto que a sua actividade de engenheiro civil teve na investigação, desenvolvimento, implementação e divulgação de soluções técnicas respeitadoras do integridade estrutural e construtiva dos monumentos a reabilitar.

Destaca-se também a sua importância como divulgador para o público em geral e especializado, graças à continuidade e coerência das suas numerosas iniciativas para promover a melhor conservação do património arquitetónico e das tradições da construção através de um sem número de conferências, publicações, entrevistas, e especialmente da revista Pedra & Cal e plataformas cívicas como o Grémio do Património ou o Fórum do Património.


A Medalha Richard H. Driehaus de Preservação do Patrimônio é um reconhecimento concedido em conjunto com o Prêmio Rafael Manzano de Nova Arquitetura Tradicional. Tomando como referência o próprio Richard Driehaus, a medalha distingue empresários, promotores, presidentes de fundações ou outras instituições que tenham dado contributos significativos para a preservação do património e para dar continuidade às tradições arquitectónicas de Espanha e Portugal.

O prêmio, que não tem verba econômica, consiste Numa medalha desenhada por Rafael Manzano Martos e é entregue durante a cerimônia de entrega do Prêmio Rafael Manzano na Real Academia de Belas Artes de San Fernando em Madrid.


Esta iniciativa é organizada pela INTBAU (Rede Internacional de Arquitetura e Urbanismo de Edifícios Tradicionais), graças ao generoso apoio do Richard H. Driehaus Charitable Trust, por meio de uma doação à Chicago Community Foundation para o Richard H. Driehaus Charitable Fund, e a Fundação EKABA.

A Fundação Serra Henriques, a Real Academia de Belas Artes de San Fernando e a Associação Hispania Nostra colaboram e é altamente patrocinada por Sua Excelência o Presidente da República de Portugal.



Vítor Cóias nasceu em 1943 em Cano, no concelho de Sousel, no Alentejo. Viveu com a família em Angola desde os cinco anos e regressou a Portugal quando iniciou os estudos universitários. Ao longo de grande parte da sua carreira tem dado um contributo fundamental para a preservação do património arquitectónico e cultural português.

Engenheiro civil formado pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa em 1968, tem dedicado a sua carreira à investigação, desenvolvimento, implementação, ensino e divulgação de soluções técnicas que respeitem a integridade estrutural e construtiva dos monumentos a restaurar.

Iniciou a sua actividade profissional como designer de estruturas para empresas de construção, primeiro em Luanda e depois em Lisboa. No regresso a Portugal, preocupado com a excessiva concentração da sua profissão nas estruturas de betão armado, e com a incapacidade que esta impunha à compreensão das estruturas históricas de pedra, tijolo e madeira que constituem a maior parte do nosso património edificado. Por isso, para poder intervir com sucesso sobre eles, decidiu dedicar a sua carreira à análise, compreensão e reparação deste tipo de construção.

Esta determinação levou-o a fundar várias empresas vocacionadas para o diagnóstico de problemas construtivos e estruturais em edifícios históricos e a sua reabilitação e adaptação a novos usos. Além disso, tem colaborado ativamente com diferentes universidades e centros de pesquisa para o desenvolvimento e padronização de soluções técnicas que permitem preservar e fortalecer este tipo de estrutura. Assim, evitou-se a perda de um patrimônio insubstituível, que de outra forma teria sido demolido e substituído por estruturas de aço e betão armado.




No âmbito da actividade das empresas que fundou, tem intervindo em inúmeros edifícios históricos portugueses, onde tem sido, em particular, um importante defensor dos sistemas estruturais históricos de madeira resistentes aos sismos da Baixa Pombalina, e em monumentos portugueses de destaque como o Palácio de Mateus.

Não menos importante tem sido o seu papel de disseminador para o público em geral e especializado, graças à continuidade e coerência das suas numerosas iniciativas para promover a melhor conservação do património arquitectónico e das tradições construtivas, que incluem uma multiplicidade de conferências, publicações, entrevistas, com destaque para a revista Pedra & Cal , e plataformas cívicas como o Grémio do Património (GECoRPA) ou o Fórum do Património, que reúne grande parte das associações portuguesas dedicadas à defesa do património arquitectónico.

As suas numerosas publicações incluem também os livros: Guia Prático para a Conservação de Imóveis (Dom Quixote, 2004), Inspecções e ensaios na reabilitação de edifícios (Instituto Superior Técnico, 2006) e Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos (Argumentum, 2007).

Vítor é também membro do conselho consultivo do ICOMOS Portugal e consultor especialista do ISCARSAH (Comité Científico Internacional para a Análise e Restauro de Estruturas do Património Arquitectónico), órgão do ICOMOS dedicado às estruturas históricas.


Parabéns por este Prémio muito merecido.


GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Orgulhosamente criado com Engenho & Arte