• Joaquim Nogueira de Almeida

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL AJUDA NA CONSTRUÇÃO


A análise de dados de longo prazo, são essenciais para impulsionar a eficiência da construção em todo o sector.


Os projetos de construção são empreendimentos altamente complexos e o sucesso de um projeto é determinado por milhares de decisões interconectadas tomadas todos os dias, em todos os níveis e em várias organizações.

Cada uma dessas decisões tem o potencial de adicionar alguma ineficiência e risco, o que pode inevitavelmente levar a custos adicionais do projeto e atrasos que podem crescer exponencialmente com o tamanho do projeto.


Recentemente num debate entre colegas sobre a introdução da IA (Inteligência Artificial) na Industria de Construção, verifiquei que em Portugal existe poucos avanços, pelo menos que se conheçam publicamente, sobre uma estratégia de introdução desta ferramenta neste sector.


Ainda me lembro da existência dos "Apontadores" em obra, que faziam a recolha de variadas informações, que depois de uma forma manual iriam ser analisadas para poderem fornecer informações necessárias para a Direcção de Obra. O rendimento das equipas, o consumo dos materiais, o respeito do cronograma financeiro, do prazo de obra etc, eram análises que conseguiam-se fazer se houvesse tempo e recursos técnicos para a elaboração destes relatórios, com estes dados. Com a mudança de gestão de obra, que começou a incorporar os subempreiteiros para substituir os empregados próprios, perdeu-se o interesse neste tipo de análise, sendo que o risco de má gestão era quase todo transferido para os subempreiteiros e estes maior parte das vezes analisavam de uma forma muito básica as suas variáveis de produção.


A possibilidade de termos dados de uma forma mais fácil, torna evidente que a sua análise poderá em todos os casos ser importante para a optimização de um projecto. A era digital veio tornar mais fácil a captação de informação e a sua transmissão para os decisores da gestão de projecto. Sistemas de BIM, aplicações de controlo de obra e finalmente ferramentas de análise recorrendo à Inteligência Artificial (IA) é uma das revoluções em curso neste sector.


Nas últimas duas décadas, a indústria adoptou a tecnologia na forma de soluções pontuais para resolver problemas específicos e adoptou plataformas de primeira geração. Isso ajudou a melhorar a eficiência e a conectar as equipes, mas os dados dessas soluções muitas vezes continuam bloqueados em aplicações específicas e com formatos proprietários. Isso dificulta o uso massivo de volume dados e do seu rápido crescimento, para obter uma visão holística do desempenho em processos, projetos ou portfólios.


Com centenas de decisões a acontecer ao mesmo tempo num projeto, como é que as plataformas de tecnologia de construção podem manter todos os actores sincronizados e a fornecer à equipe do projeto a visibilidade, o rastreio e os relatórios de que precisam para manter o projeto no alvo?


Melhorar a forma como os dados são geridos e como eles são usados ​​para ajudar na tomada de decisões, é a chave para resolver este desafio.

Como muitas organizações de Engenharia e Construção aceleraram os seus esforços de transformação digital e automação para conectar equipes e maximizar a mobilidade, um verdadeiro Ambiente de Dados Comum (ADC) é fundamental para gerar confiança e colaboração entre os membros da equipe do projeto.

Um ADC é um espaço baseado em nuvem (cloud) onde as informações dos projetos de construção são armazenadas e acessíveis aos participantes do projeto. Operar num ADC melhora muito a colaboração do projeto e a gestão de informações, conectando equipes, modelos e todos os outros dados do projeto num ambiente compartilhado e por fim, produzir um registro digital completo do projeto.

Usar um ADC também pode ajudar a resolver desafios com equipes em constante mudança ou até mesmo grandes mudanças de projeto. À medida que os novos indivíduos, subempreiteiros ou outras organizações entram no projeto, eles podem receber imediatamente acesso às informações necessárias do projeto que já residem no ADC.

Nada precisa de ser empacotado e “enviado” aos novos participantes, nem deve ser bloqueado na caixa de entrada dos membros da equipe que já partiram. Além disso, se um projeto for interrompido, o ADC contém o registro completo do projeto até essa data. Quando o projeto for reiniciado, o ADC estará pronto para apoiar a equipe com tudo o que ocorreu no projeto no passado e nada foi perdido ou precisa ser recriado.


Quando as equipes estão conectadas a um ADC, cada membro da equipe do projeto tem acesso aos dados de que precisa para tomar decisões informadas e proativas e esta é a chave para impulsionar uma melhoria contínua efectiva.

Até agora, as tecnologias de Business Intelligence geralmente forneceram apenas uma visão retrospectiva dos dados do projeto, ou seja, o que aconteceu nos projetos. Embora estas análises sejam valiosas, imaginem se pudessem melhorar a forma de entregar um projeto no prazo e dentro do orçamento, usando os dados para prever o que provavelmente acontecerá durante o processo de construção?


Novos desenvolvimentos em Inteligência Artificial (IA) desbloquearam outro nível de inteligência no projeto, permitindo análises de previsão para conduzir a uma melhor tomada de decisão de forma a optimizar os resultados do projeto. Essa mudança transformadora na ciência de dados para o sector da construção produz uma visão dinâmica de variáveis ​​como:

  • Os factores que podem atrasar um projeto

  • A probabilidade de atraso em um projeto

  • A quantidade de atraso previsto

  • A probabilidade e gravidade de um desvio de custos

  • Os riscos ocultos em torno da segurança, design, retrabalho e litígio


Estas tecnologias de IA estão a alimentar a inteligência dinâmica, ajudando as organizações a aprender com o passado enquanto avaliam continuamente o presente. A inteligência dinâmica produz previsões que agregam valor em quase todos os aspectos da gestão de projetos de construção, incluindo as áreas críticas como o planeamento, o custo/orçamento, a qualidade, a segurança, o risco e a coordenação entre entidades.

Isso permite que as organizações monitorizem regularmente os desenvolvimentos e ajustem os planos usando previsões atualizadas. Este sistema produz inteligência dinâmica, aprendendo a partir dos seus modelos de machine learning e torna-se mais inteligente e preciso com o tempo. Com as previsões que este processo produz, as organizações estão muito mais capacitadas para dar às suas equipes de projeto a inteligência certa para tomar as decisões oportunas.


Nunca houve mais pressão para mudar do que agora, enquanto a indústria enfrenta as interrupções decorrentes da Covid-19, a mudança de tipos de projeto, o aumento da concorrência, o aumento do custo dos recursos e uma força de trabalho em reforma. Estas pressões, combinadas com aumentos contínuos na complexidade, fazem a indústria repensar todos os aspectos da entrega do projeto.


Conforme a adopção resultante da tecnologia cresce e os dados proliferam, uma nova geração de plataformas de tecnologia inteligente, movida por IA e "backbone de dados" de machine learning, pode ajudar as organizações a libertar os seus dados e convertê-los na inteligência necessária para acelerar o seu desempenho. Em essência, estas plataformas podem finalmente ajudar as organizações da Engenharia e da Construção a ter sucesso no presente e aprender com o passado para melhorar o futuro.

O sector tem uma grande oportunidade de melhorar os resultados do projeto, aproveitando estas novas capacidades.

Em vez de voltar ao modo tradicional dos "Apontadores", temos a oportunidade de usar este impulso para fazer o nosso sector a avançar.


Joaquim Nogueira de Almeida

Joaquim.N.Almeida@gmail.com

Mais sobre o Autor ( Linkedin )


ARTIGOS DO MESMO AUTOR:

A IMPORTÂNCIA DO PENSAMENTO CIENTIFICO

A ENGENHARIA NO TURISMO NA ÉPOCA PÓS-PANDEMIA

IMPRIMIR BETÂO "ARMADO"? A REVOLUÇÃO QUE VAI ELIMINAR OS VARÕES DE AÇO?

PERI ENTRA NA IMPRESSÃO 3D, É DESTA QUE ISTO É LEVADO A SÉRIO?

CARBONO ZERO DA TEORIA À PRÁTICA NA ICC EM PORTUGAL

PORTUGAL NÃO SABE INVESTIR NA EFICIÊNCIA TÉRMICA

TODA A VERDADE DOS SALÁRIOS NA ENGa CIVIL

CONSTRUÇÃO CIVIL, SHUTDOWN AND REBOOT (PARTE1)

SEGADÃES TAVARES - 76 ANOS, MUITA ENGENHARIA E UMA PALA (PARTE 1)

A IA NA CONSTRUÇÃO DIMINUI OS RISCOS DE ERROS

A OET ABRE O DIÁLOGO PARA UMA FUTURA FUSÃO COM A OE

OS ENGENHEIROS E AS SUAS DUAS ORDENS

UMA PISCINA PERTO DO CÉU

CASTELBEL, A ENGENHARIA DOS AROMAS

A ENGENHARIA POR TRÁS DA MAIOR PONTE PEDONAL DO MUNDO

CIDADE MAIS "SMART" COM CIDADÃOS MAIS FELIZES - SMARTCITY

CIDADE MAIS “SMART” NOS TRANSPORTES - SMARTCITY

CIDADE MAIS “SMART” NA INFORMAÇÃO - SMARTCITY

CIDADE MAIS “SMART” NA ENERGIA - SMARTCITY

MOLDANDO O MUNDO COM IMPRESSÃO 3D - O FUTURO NA CONSTRUÇÃO

MUDANÇA DE MENTALIDADES - O FUTURO NA CONSTRUÇÃO

ENGENHARIA, MOLDANDO O MUNDO - O FUTURO NA CONSTRUÇÃO

FRANÇA RECOMEÇOU AS OBRAS MESMO COM O COVID-19

COVID-19 NA CONSTRUÇÃO, LONGA SE TORNA A ESPERA

COVID-19 NA CONSTRUÇÃO, INGLATERRA FAZ SAIR O 1º GUIA E FRANÇA PARA BREVE

A CONSTRUÇÃO NÃO PRECISA DE CANTAR O FADO

ENGENHARIA PORTUGUESA, QUO VADIS?

SERIA LUIS VAZ DE CAMÕES ENGENHEIRO?

10 LIÇÕES DE VIDA E DE NEGÓCIOS


#inteligenciaartificial #IA #engenharia #construcaocivil #cloud #engenhariacivil


GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


93 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo