• Engenho e Arte

INVESTIGADORES JAPONESES DESENVOLVEM UM NOVO TIPO DE BETÃO



Investigadores da Universidade de Tóquio desenvolveram uma nova forma de betão que, segundo eles, poderia reduzir as emissões da indústria de construção.


O betão de carbonato de cálcio é feito de resíduos de betão e dióxido de carbono do ar ou dos gases de exaustão industriais. Esta solução mostra-se promissor como um futuro material de construção, especialmente em locais onde os recursos naturais são limitados, disse a universidade.

Estima-se que cerca de 7% das emissões mundiais de dióxido de carbono provêm da fabricação e do uso de cimento e grande parte desses 7% se deve ao uso necessário do cálcio, normalmente obtido pela queima de calcário.


A Universidade de Tóquio disse que uma nova forma de reduzir os níveis de emissões causadas pelo uso do betão foi proposta e comprovada para funcionar pelo professor Ippei Maruyama e pelo director do projeto C4S (Sistema de Circulação de Carbonato de Cálcio para Construção), Professor Takafumi Noguchi. Ambos são do Departamento de Arquitetura/engenharia Civil, da Universidade de Tóquio.

Eles descobriram uma maneira de juntar os resíduos de betão e de dióxido de carbono capturado e combiná-los num material a que deram o nome de betão de carbonato de cálcio .


O trabalho foi inspirado na forma como alguns organismos aquáticos endurecem na forma de fósseis ao longo do tempo. Maruyama questionou se o mesmo processo que forma depósitos de carbonato de cálcio duro a partir de matéria orgânica morta poderia ser aplicado ao betão. O cálcio é essencial para a reação entre o cimento e a água para formar o betão, e Maruyama viu isso como uma oportunidade para investigar uma forma menos intensiva de carbono para realizar a mesma função.


“O nosso conceito é adquirir cálcio do betão reciclado, que de outra forma vai para o lixo. Combinamos isso com o dióxido de carbono da exaustão industrial ou mesmo do ar. E fazemos isso em temperaturas muito mais baixas do que as usadas para extrair o cálcio do calcário atualmente. ” disse Maruyama

O carbonato de cálcio é um material muito estável, o que o torna num material de construção durável, disseram os pesquisadores. E a capacidade de reciclar grandes quantidades de materiais e resíduos é um grande benefício. No entanto, o betão de carbonato de cálcio não pode substituir o betão típico atualmente. Não é tão forte quanto o betão normal, embora para alguns projetos de construção, como pequenas casas, isso não seja um problema, disse o especialista. Também actualmente, apenas pequenos blocos de alguns centímetros de comprimento foram feitos.


“É empolgante progredir nessa área, mas ainda há muitos desafios a serem superados. Além de aumentar a resistência e os limites de tamanho do betão de carbonato de cálcio, seria ainda melhor se pudéssemos reduzir ainda mais o uso de energia no processo de produção. No entanto, esperamos que nas próximas décadas, o betão de carbonato de cálcio neutro em carbono se torne o tipo de betão comum e seja uma das soluções para as mudanças climáticas ”. disse Noguchi

#betao #cimento #carbonatodecalcio #carbonozero #construcao #engenharia #engenhariacivil



GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


113 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo