• Engenho e Arte

FERRY NA MAIOR ROTA DA NORUEGA VAI SER ELÉCTRICO


A maior ligação de barco da Noruega, Moss-Horten, funcionará com energia eléctrica a partir de 2021, alimentada por baterias de nova tecnologia da Siemens. O barco será equipada com a maior bateria que já foi instalada num barco deste tamanho. As baterias refrigerados a água da Siemens permitem um recorde carga de alta potência e vai reduzir o custo da bateria e emissões C02. 

A Moss-Horten transporta 1,8 milhão de veículos e 3,7 milhões de viajantes pelo Fiorde de Oslo anualmente. A Siemens fornecerá um sistema de armazenamento de energia que inclui uma bateria de 4,3 MWt e um Sistema de Gestão de Energia que será usado a bordo do novo barco a partir de janeiro de 2021. Esta será a maior gama de baterias do mundo construída para operação totalmente eléctrica, e o maior bateria já entregue a um ferry norueguês deste tamanho. A Siemens também fornecerá a infraestrutura de carregamento de bateria para ser usada para registo de carregamento rápido quando o barco estiver atracado no porto. O padrão de rota do barco Moss-Horten requer carregamento numa muito alta voltagem até 7,2 megawatts (7200 kW), colocando grande carga nas baterias a bordo do barco. Com uma alta potência de carregamento necessária num curto período de tempo, as baterias produzem uma quantidade significativa de calor. Esse calor poderia ser distribuído por muitas baterias, uma solução cara que exigiria o uso de muitas baterias. Em vez disso, a Siemens fornece uma tecnologia muito mais económica com uma bateria refrigerada a água que esfria a um nível ideal.


Inicialmente, o barco será movida por energia eléctrica em aproximadamente 65 por cento do tempo, pois só pode ser carregada no lado de Horten da rota, onde há instalações de recarga. Assim que uma estação de carga chegar a Moss, a balsa funcionará 100% com energia eléctrica.

Em comparação com uma balsa convencional, um barco eléctrico com baterias economiza o equivalente a 3400 emissões de CO 2 de novos carros a gasolina . * Um estudo de 2015 da Bellona e da Siemens concluiu que seria lucrativo substituir 70 por cento dos barcos na Noruega por bateria ou numa operação híbrida. A transição dos barcos noruegueses para uma operação com bateria ou híbrida reduziria as emissões de CO2 em 300.000 toneladas métricas, aproximadamente nove por cento das emissões totais do transporte marítimo doméstico.

"Os barcos são a combinação perfeita para a energia renovável”, diz Ketil Aagesen, chefe de vendas da Siemens Offshore and Marine Center. Se a mudança verde for implementada globalmente, as autoridades de outros países devem olhar para a Noruega para ver como pode ser rentável converter barcos para emissões baixas ou zero. ”



“Estas soluções de electrificação são igualmente adaptáveis para os ferries em Portugal, nomeadamente os que operam no rio Tejo, nas ligações a Setúbal e Tróia, assim como nas ilhas da Madeira e nos Açores” informou António Carvalho, responsável pela área Marine Solutions da Siemens Portugal.


* Cálculos feitos por Enova e Bastø Fosen. O cálculo é baseado numa quilometragem média anual de 12.140 km / ano (cf. Statistics Norway) e emissões médias de gases de efeito estufa de 94 gramas por quilometro percorrido por carros a gasolina vendidos em 2018 (cf. OFV). Cálculos simples da Siemens mostram que existem cerca de 2.300 barcos em todo o mundo, das quais 1.300 têm mais de 25 anos. Se assumirmos que tanto o padrão operacional quanto o tamanho desses barcos são semelhantes aos noruegueses, convertê-las em energia eléctrica eliminaria 1,3 milhão de toneladas métricas de diesel, reduzindo as emissões de CO 2 em quase 4 milhões de toneladas métricas.



GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


51 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Orgulhosamente criado com Engenho & Arte