• Engenho e Arte

MAVERIC, A ARMA DA AIRBUS PARA VOOS MAIS SUSTENTÁVEIS


O FABRICANTE EUROPEU APROVEITOU A FEIRA EM SINGAPURA PARA APRESENTAR O NOVO CONCEITO QUE PODE ECONOMIZAR ATÉ 20% EM COMBUSTÍVEL.


A Airbus continua a avançar com o desenvolvimento de ideias para a aviação de "baixo carbono". No Singapore Air Show, o fabricante europeu de aeronaves apresentou um modelo de asa voadora em tamanho reduzido que poderia ser usado como base para futuros aviões, que consomem menos combustível.

Esse projecto,  chamado Maveric, é um exemplo tecnológico, que em protótipo tem "o potencial de reduzir o consumo de combustível em até 20% em comparação com as actuais aeronaves de corredor único", como o A320 ou o Boeing 737, disse a Airbus numa apresentação.


Lançado com o maior sigilo em 2017, fez seu primeiro voo em Junho de 2019. Com 2 metros de comprimento por 3,2 de largura, sua forma se assemelha a um V achatado, com 2 estabilizadores verticais nas quais os motores estão integrados . Desde então, a campanha de testes de voo está em andamento e continuará até o final do segundo trimestre de 2020.


Sem calendário

"Embora não haja um cronograma específico para o avanço na construção deste protótipo, este estudo tecnológico pode ajudar a evoluir as arquitecturas de aeronaves comerciais na direcção a um futuro ecologicamente sustentável para a indústria aeronáutica", diz Jean-Brice Dumont, Vice-presidente da Airbus responsável pela engenharia, citado no comunicado de imprensa.


O sector de transporte aéreo responde por cerca de 2% das emissões de dióxido de carbono (CO2) de acordo com a Organização Internacional de Aviação Civil (OACI) e excede o transporte rodoviário ou ferroviário em termos de emissões por passageiro por quilometro.

Pressionadas pela opinião publica ambientalista para boicotar o avião como meio de transporte, as companhias aéreas e fabricantes empreenderam  um grande esforço para reduzir pela metade as suas emissões em 2050, em comparação a 2005.


Além dos benefícios que os materiais leves podem trazer, biocombustíveis ou combustíveis sintéticos, os fabricantes estão a trabalhar em vários avanços tecnológicos com potencial.

Entre elas, está a tecnologia híbrida eléctrica, na qual a Airbus está a trabalhar com seu protótipo E-Fan X.

O Onera, o centro de pesquisa aeroespacial francês, por sua vez, desenvolveu o protótipo Dragon, que possui várias motores eléctricos colocados sob as asas e alimentados por turbo geradores movidos a querosene.

O fabricante de motores Safran, por sua vez, conta  com a tecnologia de rotor aberto , uma hélice sem carnagem em vez de reactores que reduziriam o consumo de combustível para um terço.



GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Orgulhosamente criado com Engenho & Arte