• Engenho e Arte

OBRAS EM CASA?! CONFIRA ESTAS DICAS



8 dicas profissionais para obras em casa


Deseja ampliar a sua sala de estar ou demolir uma divisória para criar uma cozinha aberta?

As técnicas são várias, mas o foco principal deve estar nos conhecimentos gerais de demolições. Apoiar elementos construtivos para evitar deformação de vigas ou lajes, proteger o chão e ter especial cuidado para não derrubar uma parede estrutural, fazem parte das regras básicas a considerar.

Uma cozinha aberta para a sala está na sua wish list que pretende alcançar em breve? Sonhar não custa, no entanto há factores a considerar para perceber o preço a pagar por algo que para muitos parece tão simples. Esta parede, entre as duas divisões pode ter algum impedimento que não permita a sua concretização. Demolir uma parede para redefinir uma sala por exemplo, não é tarefa fácil. Fornecemos assim alguns conselhos sobre como demolir uma parede em alguns passos. Tenha o especial cuidado, recorrendo à análise e aconselhamento de profissionais credenciados no sector. Estes podem orientá-lo com calma durante a demolição. Saber se a parede é portadora de carga ou não, tomar precauções no piso de sua casa ou simplesmente escolher as ferramentas certas, são alguns dos principais passos a serem seguidos no processo de demolição de uma parede. O menor erro de cálculo pode ser dramático. Não é uma acção inofensiva! Todo o cuidado é pouco.



Identifique o tipo de parede a ser demolida


À priori, um bom pedreiro pode demolir com sucesso uma parede sozinho, mas cuidado, se uma parede foi identificada como não sendo estrutural ou com não tendo função de suportar cargas, não há garantia de que hoje, com o passar do tempo, esta não se tenha tornado essencial para suportar o tecto.

Consultar um profissional da área é fundamental, assim como solicitar a um engenheiro que calcule por exemplo a altura do aço que constitui a viga, no topo da parede. Também tem competências para propor, baseado em cálculos, perfis IPN ou IPE, para que se mantenha a resposta ao carregamento imposto à parede em causa.

Um factor que talvez desconheça mas que o ajudará, assenta na espessura da parede. Se a parede tiver entre sete e oito centímetros de espessura, ela poderá ser considerada por defeito, isenta de carregamento.

Porém, no caso de um prédio antigo ou de uma casa antiga, as informações relacionadas à espessura da parede podem estar erradas. Uma habitação com alguns anos, muitas vezes as paredes que foram adicionadas após a construção, para delimitar as áreas interiores, podem-se tornar semi-carregadas com o tempo.


Assim, é necessário analisar a parede antes de a demolir. Este fenómeno deve-se ao assentamento causado pelos movimentos do solo. Este facto assenta principalmente em casos como os prédios antigos, construídos há décadas atrás.



Inspeccionar a parede com um detector de metais antes de a demolir


Temos então outra acção a ter em conta no estudo da obra. Em seguida, examine as paredes para garantir que não existem fios ou tubos eléctricos que passem pela parede em questão. Para realizar esta pesquisa, use um detector de metais ou um dispositivo especialmente desenvolvido para esta tarefa. Em seguida, trace o percurso das tubagens ou cabos para que não os danifique durante a demolição. Este dispositivo é fácil de adquirir, na maioria das superfícies comerciais de materiais de construção, o preço pode variar entre 30 e 90 €.

Por fim, se descobriu, graças ao detector de metais, a presença de tubos ou cabos na parede a ser demolida parcialmente ou na sua totalidade, há 3 gestos que devem ser tidos em conta na pré-demolição:

- Corte a energia antes da intervenção. Cuidado para não danificar os cabos;

- Se precisar de cortar um tubo, proceda ao corte de água e esvazie o circuito;

- Se a parede suportar um tubo de gás, é aconselhável requisitar um técnico credenciado para tal, tendo em conta os perigos que daí poderão advir.



Apoie o tecto nos dois lados da demolição


A regra geral para demolir uma parede é apoiar a zona circundante de forma cuidadosa e eficiente. Após a demolição, remova os apoios cuidadosamente e verifique se o piso ou tectos não se moveram.

Para fazer isso, basta com o auxilio um nível, verificar a inclinação dos mesmos.


Certifique-se de que o condomínio aprova a demolição


Se é proprietário de um apartamento, esta regra aplica-se a si. De facto, pode realizar livremente obras no seu imóvel sem prejuízo estrutural do edifício ou dos direitos dos co-proprietários. No entanto, o consentimento deles é necessário.


Se a obra que pretende executar, afectar áreas comuns, é necessário uma votação dos condóminos, tendo obrigatoriamente de ter a aprovação da maioria dos moradores do condomínio, entenda-se 50% ou mais.


Concretamente, o acordo dos seus vizinhos é obrigatório se a parede que deseja derrubar for estrutural ou se a sua demolição arriscar causar danos às partes comuns do edifício.


No que diz respeito à localização do seu apartamento no respectivo prédio, por exemplo um R/C, a demolição de uma parede pode ser mais complexa. Tudo isto deve-se à influência que essa parede tem a nível estrutural, tendo em conta todo o carregamento que poderá estar a suportar. Por outro lado, se se tratar de um último andar, o mais alto na cota total do edifício, uma obra de demolição poderá ser menos complexa, na medida em que quanto mais alto a cota, menos são os carregamentos distribuídos nos elementos estruturais do piso.



Proteger o chão, móveis e divisões circundantes


Antes de iniciar o trabalho de demolição, proteja o chão assim como mobiliários de grandes dimensões. O uso de cartão rígido ou cobertores velhos pode ser uma boa opção protectora. Portas de acesso a outras divisões ou ate mesmo de roupeiros, deverão ser isoladas de forma a impedir a propagação de resíduos oriundos da demolição. Poderá conceber esta protecção utilizando mantas plásticas e fita adesiva. Todo este material tem um peso irrisório no orçamento da obra, minimizando e salvaguardado possíveis surpresas, surpresas essas que todos quererão evitar.



Proteja-se durante a remoção


Os olhos, as mãos, a cabeça e os pés! Proteja todo o seu corpo na execução de qualquer tarefa na obra. Os óculos normalmente são um equipamento menosprezado por grande parte dos trabalhadores, o seu uso é essencial para evitar a entrada de certos detritos na vista.

Sapatos certificados para trabalhos desta espécie são fundamentais, uma biqueira de aço reduzirá significativamente possíveis lesões com a queda de pedaços da parede sobre os pés. Não se esqueça das luvas, proteja as mãos dos riscos a que as expõe. Todo este material tem um custo reduzido, e como se costuma dizer, a nossa segurança não tem preço. Para ficar com uma ideia, um par de sapatos tem um preço a rondar os 50€, umas luvas 10€ e os óculos outro tanto.



Escolher as ferramentas certas


Pode derrubar a parede com uma picareta ou uma marreta. No entanto, todo o cuidado é pouco para não danificar e rachar as partes envolventes. O uso de um martelo juntamente com um cinzel permite um trabalho mais cuidadoso. Como nem tudo é perfeito, este método trás uma desvantagem: mais tempo para executar o trabalho. Existem também ferramentas eléctricas, como a serra sabre.

Se não é um profissional da construção, se apenas faz meros trabalhos esporadicamente, lembre-se que muitas vezes a compra deste tipo de equipamentos, poderá não ser a melhor opção. O seu custo elevado e a pouca utilização dada, farão com que o rendimento da ferramenta perante o seu custo seja muito reduzido. Assim, talvez a melhor opção seja mesmo o aluguer de ferramentas. Considere seriamente a possibilidade de aluguer.

Daremos alguns exemplos para que possa tirar as suas próprias conclusões, nunca esquecendo que o uso destas ferramentas será feito em média um a dois dias. A serra sabre de 230 V, por exemplo, terá um custo aproximado de 30€/dia versus os 100€ que terá de desembolsar para a adquirir. Já uma picareta com valores entre os 100€ e os 200€, consegue facilmente alugar por 50€/dia. Perante este valores, tire as suas próprias conclusões.



Passado o assunto das ferramentas, é importante, independentemente das ferramentas que utilize, começar a demolição pela parte superior, descendo gradualmente.



Remoção dos detritos após a demolição


Se a obra for executada num andar de cota mais alta, poderá transportar os escombros para a rua, recorrendo ao uso de um gancho ou de uma roldana. Ainda assim, se os restantes condóminos aceitarem, poderá fazer o transporte recorrendo ao elevador do prédio. Os detritos deverão ser descarregados num aterro próprio, e nunca na via pública. Na dificuldade de o fazer sozinho, pode sempre recorrer a um profissional ou serviço camarário, caso exista no seu município.

Após estas regras essenciais, só nos resta desejar bom trabalho e mãos a obra!


Se ainda assim, após a descrição destes 8 passos não se sente confortável para a execução da obra, pode sempre recorrer a uma empresa especializada com o know-how ideal para que o trabalho corra como desejado.




GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos


Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com

17 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Orgulhosamente criado com Engenho & Arte