• Engenho e Arte

TEIXEIRA DUARTE, 100 ANOS A CONSTRUIR PORTUGAL

Atualizado: Jan 27


UMA DAS MAIS IMPORTANTES E SÓLIDAS EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO PORTUGUESA, FAZ ESTE ANO 100 ANOS DE EXISTÊNCIA.




1921 – 2021: 100 anos de Teixeira Duarte

A Teixeira Duarte foi fundada em 1921 pelo Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte. Em 1934 foi constituída como sociedade de quotas e em 1987 transformada em sociedade anónima. Começou a ser cotada na Bolsa de Valores de Lisboa em 1998.


O crescimento sustentado ao longo de décadas na Construção, permitiu que o Grupo fosse desenvolvendo outros setores de atividade fruto de oportunidades de negócio que foi encontrando e dinamizando desde os anos setenta, tais como as Concessões e Serviços (desde 1984), da Imobiliária (desde 1973), da Hotelaria (desde 1992), da Distribuição (desde 1996) e do Automóvel (desde 1991). Embora em 2016 ainda tenha atuado no setor da Energia , onde operava desde 1996, a Teixeira Duarte alienou, já no primeiro trimestre de 2017, a participação que detinha na entidade através da qual mantinha atividade neste setor.


Com um consolidado processo de internacionalização, há muito que a Teixeira Duarte atua noutros mercados que ainda hoje são importantes nas suas operações, tais como a Venezuela (desde 1978), Angola (desde 1979), Moçambique (desde 1982), Espanha (desde 2003), Argélia (desde 2005) e Brasil (desde 2006), aos quais hoje se juntam também a França, a Bélgica, o Reino Unido, o Luxemburgo, os Estados Unidos da América, a Colômbia, o Equador e o Peru, Marrocos, África do Sul, a China, o Qatar, o Kuwait, Gabão e Cabo Verde.

Hoje, após 100 anos, o conjunto de mais de 180 empresas que constituem um dos principais Grupos Económicos Portugueses, assegura uma atuação em mais de 20 países, em quatro continentes, pelo empenho e dedicação de 9.000 colaboradores. Um trajeto assente em Engenho, Verdade e Compromisso, que nos orgulha, que nos ensina e que nos inspira a continuar a


"Fazer, contribuindo para a construção de um mundo melhor"



A Construção é o core business e a génese da Teixeira Duarte, sendo também a atividade da principal sociedade do Grupo, a Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S.A., que atua nas áreas da Geotecnia e Reabilitação, Edificações, Infraestruturas, Metalomecânica, Obras Subterrâneas, Obras Ferroviárias e Obras Marítimas que contam com o apoio de um Centro Operacional de Cofragens e Pré-esforço, de uma Direção de Equipamentos de grande dimensão e tecnologia, de um Laboratório de Materiais e de um Polo Operacional instalados no Montijo.


Para além disso, no Grupo existem também outras sociedades participadas, que operam em áreas específicas da Construção, nomeadamente nas obras Subterrâneas, Ferroviárias e Marítimas, bem como diversos Agrupamentos Complementares de Empresas e outras estruturas semelhantes afetas a projetos específicos, em particular na área das Infraestruturas.




O INÍCIO


1921 - Início de atividade do Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte


O Eng.º Ricardo Esquível Teixeira Duarte (1886-1959) inicia a sua atividade enquanto empresário em nome individual no ano de 1921, dedicando-se a obras de captação de águas e pequenas obras de construção civil. Nesse mesmo ano, constituiu, com outros três sócios, a “Sociedade Portuguesa de Engenharia Lda.”, na qual exerceu as funções de Diretor da Seção de Hidrologia.

Aluno da Escola Politécnica de julho de 1909 a outubro de 1911, transferiu-se nessa mesma data para o Instituto Superior Técnico (IST), criado nesse ano, onde com o nº189 terminou o curso de engenharia civil em 7 de agosto de 1915.

O escritório da Rua da Palma nº 161, 1º Esq., em Lisboa, foi o local onde o Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte exerceu a sua atividade profissional a partir de 1921, sendo também o endereço da “Sociedade Portuguesa de Engenharia Lda.”.



1928 - A primeira grande obra

Em 1928 concorreu, em nome individual, à Empreitada de Construção do Cais do Porto de Vila Real de Santo António, que lhe foi adjudicada, tornando-se assim o primeiro empreiteiro português de trabalhos marítimos.

A atividade da Empresa ficara, nesta altura, praticamente reduzida a uma segunda empreitada da obra do porto de Vila Real de Santo António, registando-se apenas algumas pequenas sondagens, a construção de um reservatório de betão armado e as fundações de uma pequena ponte até fim de 1933, data em que se concluiu esta grande obra. Construção do Porto Comercial de Vila Real de Santo António, entre 1928 e 1935.

Fundações do Novo Corpo Central do Palácio do Congresso (atual Assembleia da República)


1934 - A especialização em geotecnia e fundações

A partir de então retomou o seu plano inicial, baseado na especialização em hidrogeologia e geotecnia, incluindo sondagens geológicas, pesquisas e captações de água, fundações e trabalhos hidráulicos e subterrâneos através da constituição, em 1934, da “Empresa de Sondagens e Fundações Teixeira Duarte, Lda.”, com sede na Rua Augusta 280, 4º, em Lisboa, escritório este que fora elegido pelo Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte para a sua atividade profissional em 1929.

A inovação foi uma constante na atividade da Teixeira Duarte ao longo do tempo. Sendo disso exemplos, a introdução da tecnologia de estacas moldadas no solo, em alternativa às estacas cravadas de madeira, e em concorrência com a casa belga Franki.

Esta tecnologia foi utilizada nas fundações do Novo Corpo Central do Palácio do Congresso (atual Assembleia da República) em 1934, nas fundações da Nova igreja da Av. da Berna (Igreja de Fátima) e nas fundações da Casa da Moeda, em Lisboa e assinalada na Patente de Invenção nº19.640: "Sonda-cravadeira para cravar tubos em terrenos compressíveis, com sondagem simultânea", concedida ao Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte em 1938.



1943 - Um novo paradigma

A alteração da denominação da “Empresa de Sondagens e Fundações, Lda.” para “Empresa de Sondagens e Fundações Teixeira Duarte, Lda.”, marca uma mudança do paradigma de funcionamento da Teixeira Duarte, deixando a sua atividade centrada na pessoa do Engenheiro Ricardo Esquível Teixeira Duarte para se focar numa sociedade em sentido amplo.

No ano seguinte, a Teixeira Duarte mudou a sede para a Rua da Betesga, 57, 3º andar, Lisboa. Posteriormente e de acordo com a alteração toponímica de 1950, esse endereço passaria a Praça da Figueira, 18. 3º.

Ainda em 1944 foi registada a marca Teixeira Duarte (estaca com as cinco quinas) e publicada no Boletim da Propriedade Industrial, dando posteriormente origem à atual insígnia e registada no INPI em 1988 (pedido apresentado em 1975). Sede da Teixeira Duarte na Praça da Figueira, nº18, em Lisboa

Injeções de Cimento na Barragem do Biópio, em Angola


1951 - Os primeiros passos fora de Portugal continental

Em 1951, e no âmbito de um contrato celebrado com a Empresa de Cobre de Angola, para a execução de uma campanha de prospeção geotécnica no jazigo cuprífero de Mavoio, a Teixeira Duarte executou mais de 3000 metros de furos de sondagens à rotação com profundidades até 300 metros.

A atividade em Angola seria então interrompida nas décadas de 60 e 70, sendo retomada em 1979 através da execução das fundações para o Sistema de Telecomunicações por Micro-ondas.

Em 1955, a Teixeira Duarte foi responsável pelos trabalhos de reconhecimento geotécnico nos leitos dos rios Mandovi, Zuari e Chaporá e das fundações das pontes de Sanquelim e de Assolnã-Salcete, na Índia Portuguesa.



1961 - A diversificação da atividade a todos os setores da Construção

Até finais da década de 60, a atividade da Teixeira Duarte orientou-se exclusivamente para os domínios da Geotecnia e Engenharia de Fundações. Porém, foi-se alargado a outros domínios da Construção, o que, na remodelação dos Estatutos em 1961, se materializou no seu objeto social: “execução de estudos e de obras de engenharia, especialmente sondagens geológicas, captações de águas subterrâneas, consolidação e impermeabilizações do solo, fundações e construções de todos os géneros.”

Em 2021 a Teixeira Duarte faz 100 anos e afirma-se como uma empresa de referência em Portugal. Muitos parabéns por fazer parte da história da industria de Construção Civil Portuguesa e esperamos que continue a ajudar a construir Portugal e o Mundo.






GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


Créditos do texto e e das fotografias à Teixeira Duarte e Wikipédia

435 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo