• Engenho e Arte

EM MADEIRA, EIS O NOVO ESTÁDIO OLÍMPICO JAPONÊS


Estávamos em finais de 2019 quando, poucos meses antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, o Japão revelou o estádio que seria o palco das cerimónias de abertura e encerramento, competições de atletismo e algumas partidas de futebol. Assim teria sido, caso não tivesse aparecido esta catástrofe mundial de seu nome Covid19.


O edifício projectado pelo arquitecto japonês Kengo Kuma, teve em particular, especial foco na capacidade de responder ao intenso calor, normal nesta época do ano no Japão.


O teatro dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 foi finalmente concluído, após 4 anos de construção, tendo o prazo final derrapado cerca de 7 meses do planeado. A sete meses do suposto início dos Jogos (24 de Julho a 9 de Agosto de 2020), o Japão inaugurou o seu novo estádio nacional. Este estádio conta com 68.000 lugares e foi construído no lugar do seu antecessor, erguido para os Jogos Olímpicos de 1964, com capacidade para 48000 pessoas sentadas.



Esta obra de arte contou com um investimento na ordem de 1,3 mil milhões de euros.


Projectado pelo famoso arquitecto japonês, que conta no seu portefólio projectos como a estação de metro de Saint-Denis-Pleyel, assim como a Cidade das Artes e da Cultura de Besançon, ambos em França.


Imagens da estação de Saint-Denis-Pleyel e da Cidade das Artes e da Cultura de Besançon



A madeira, matéria prima muito presente na cultura japonesa, foi uma das bases do projecto desenvolvido por Kuma, usando mais de 2 mil m3 de madeira de cedro. É a árvore nacional do Japão, sendo comum a sua plantação em torno de templos e de santuários, existindo vários exemplares de grandes dimensões plantados há vários séculos. Assim, podemos constatar que o arquitecto teve atenção especial à História japonesa. Para a cobertura, Kengo Kuma combinou vigas de aço e madeira laminada. A rigidez da madeira tem como objectivo minimizar a deformação das vigas durante terremotos ou ventos de maior intensidade.



Lutar contra o calor


Um dos principais problemas a serem enfrentados ao projectar o estádio foi o calor. Na verdade, na capital japonesa, a temperatura ultrapassa frequentemente os 40°C. Para superar esta situação, Kengo Kuma equipou o estádio com 185 pontos de ventilação, direccionados tanto para espectadores como atletas.






Ficha técnica


Arquitecto: Kengo Kuma Conclusão: novembro de 2019 Inauguração: 16 de dezembro de 2019 Área: 194000 m² Número de lugares: 68000


Devido ao Covid19, os Jogos foram adiados para 2021, esperamos que em pouco menos de um ano se consiga ver o estádio cheio, na bela cerimónia de abertura desta obra de arte da Engenharia e Arquitectura, num hino ao desporto mundial.


GOSTOU? Então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos.

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


36 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Orgulhosamente criado com Engenho & Arte