• Engenho e Arte

PARIS REVOLUCIONA O URBANISMO, SEM CARROS NO PÓS COVID-19



A PRESIDENTE DA CÂMARA DE PARIS, ANNE HIDALGO, PLANEIA USAR AS CICLOVIAS, OS AUTOCARROS E A DISTÂNCIA SOCIAL PARA EVITAR OS AUTOMÓVEIS DENTRO DE PARIS E REDUZIR A POLUIÇÃO


Voltar a uma Paris dominada por carros após o fim do bloqueio está "fora de questão", segundo a responsável da cidade, Anne Hidalgo.


Na terça-feira passada, numa sessão especial do Conselho da Cidade de Paris sobre a transição após o bloqueio nacional da França em 11 de maio, Hidalgo enfatizou em manter as medidas anti-poluição e anti-congestionamento introduzidas durante o seu mandato, enquanto as cidades repensam as políticas de transporte para evitar a transmissão do Covid -19.


"Eu digo com toda a firmeza que está fora de questão que nos permitamos ser invadidos novamente por carros e poluição", disse. “Isso vai piorar a crise na saúde. A poluição já é em si uma crise de saúde e um perigo, e a poluição associada ao coronavírus é um cocktail particularmente perigoso. Portanto, está fora de questão pensar que chegar ao coração da cidade de carro é uma solução, seria algo que poderia realmente agravar a situação.


Durante o auge dos bloqueios em todo o mundo, o tráfego de carros diminuiu e a poluição do ar caiu. Mas, agora as cidades consideram reabrir, pensando como evitar a aglomeração no transporte público, será uma incerteza de como será o aumento no uso de carros particulares. Isto acrescenta uma nova urgência à agenda pré-pandémica de Hidalgo para reduzir drasticamente a presença de carros na cidade. Ela está a juntar-se a vários outros líderes europeus de cidades no fortalecimento de compromissos para cultivar outros modos de transporte, particularmente o ciclismo.


A afirmação da Anne Hidalgo de uma ligação entre Covid-19 e a poluição não é infundada. Já no inicio da pandemia, estudos sugeriram uma ligação entre a má qualidade do ar e as mortes por Covid-19. Investigadores de Harvard descobriram que um aumento na poluição de partículas de apenas um micrograma por metro cúbico poderia aumentar as hipóteses de um paciente morrer em 15%. A poluição do ar, também é conhecida a exacerbar condições tais como asma, que pode tornar o risco de Covid-19 numa mortalidade mais elevada .


"A poluição associada ao coronavírus é um cocktail particularmente perigoso".


O programa anti-carro de Hidalgo está focado em reformar o núcleo da cidade para dar mais espaço a pedestres e ciclistas, além de impedir que carros mais antigos e poluentes entrem na cidade. Este processo transforma grandes vias de circulação de veículos a motor para pedestres, a eliminação gradual de faixas de carros e lugares de estacionamento para criar calçadas maiores e zonas verdes . No início deste ano, Paris adoptou um plano de bairro de 15 minutos para um desenvolvimento futuro que exponenciava ainda mais a área da cidade com menos faixas para carros e reaproveitava os espaços comunitários.


A declaração da autarca mostra uma clara recusa em voltar atrás neste empurrão. Também pode ser uma dica de novos planos para restringir o acesso de carros. O fim do bloqueio a 11 de Maio não significará o retorno dos normais hábitos de trânsito a nível nacional: qualquer pessoa que deseje viajar além de uma zona de 100 quilómetros ao redor de Paris, precisará de permissão oficial das autoridades nacionais. Mesmo que isso não afecte os passageiros, essa restrição ainda deve salvaguardar que o tráfego automóvel em Paris não retornará imediatamente aos níveis pré-pandémicos.



Enquanto isso, nos transportes públicos, Paris precisará de encontrar maneiras de impedir que comboios e autocarros sejam sobrecarregados, para que as pessoas possam continuar a praticar o distanciamento social. A primeira medida preventiva, disse Hidalgo no seu discurso no Conselho da Cidade, é que para qualquer pessoa da grande Paris, que actualmente trabalha em casa, pode e deve continuar a fazê-lo. Aqueles que apanham o metro serão obrigados a usar máscaras e desinfectante para as mãos, que será fornecido em todas as barreiras de controle de bilhetes. Os serviços de autocarros também serão aumentados significativamente. A medida mais impressionante proposta pela presidente da câmara, é a criação de novas ciclovias totalmente protegidas, que se estendem do coração da cidade até aos subúrbios distantes.


Os caminhos que já estavam na calha antes da pandemia, serão agora aumentados, para que mais pessoas na cidade de Paris possam circular de bicicleta. Dentro da cidade, as novas ciclovias serão incluídas no espaço das estradas para acompanhar o trajecto das três linhas de metro. No futuro imediato, o eixo da Rue de Rivoli tornar-se-à um espaço quase inteiramente para pedestres e ciclistas, com autocarros e táxis circulando apenas ao longo de uma estreita faixa central da estrada.



Estes planos de ciclovias temporários não são de modo algum exclusivamente parisienses, já estão a ser implementados em Milão, Barcelona, ​​Bruxelas e Berlim, além de várias outras cidades do mundo, numa tentativa de facilitar a locomoção social dos moradores da cidade. Com os bloqueios ainda em vigor, é muito cedo para ver se medidas como estas serão suficientes para reduzir significativamente a aglomeração em autocarros e metros.


Esta estratégia revela uma intenção contínua em apostar nas mudanças climáticas, mesmo quando outra emergência global desvia a nossa atenção. E para Hidalgo, a pandemia e a sua conexão com as condições respiratórias apenas proporcionaram uma maior motivação para reduzir a poluição.


GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com



Veja também

15-MINUTE CITY, A REVOLUÇÃO URBANA DE PARIS

78 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Twitter Branco

© 2019 Orgulhosamente criado com Engenho & Arte