top of page
  • Foto do escritorEngenho e Arte

O EQUIPAMENTO PESADO DA CONSTRUÇÃO CIVIL ESTÁ CADA VEZ MAIS ELÉTRICO


ESTAMOS EM ÉPOCA DE MUDANÇA. ENTRE OS DEFENSORES E OS CÉPTICOS, A VERDADE É QUE NUMA DAS INDUSTRIAS DE ELETRIFICAR COMO É A CONSTRUÇÃO CIVIL, HÁ PASSOS TODOS DIAS NO SENTIDO DE DESCARBONIZAR ESTA INDUSTRIA.

A descarbonização da indústria da construção civil é uma preocupação urgente e necessária para mitigar os impactos ambientais negativos desse setor. Com o aumento das preocupações relacionadas às mudanças climáticas e à sustentabilidade, a eletrificação é uma solução promissora para reduzir a pegada de carbono e melhorar a eficiência energética.


A Indústria da Construção Civil está a passar por uma fase de transformação significativa. Neste momento, encontramo-nos numa época de mudanças, em que a eletrificação do setor tem sido um tópico amplamente debatido. Entre os defensores entusiastas e os cépticos cautelosos, é importante reconhecer que a verdade ainda está no meio. Contudo, podemos afirmar com confiança que na indústria da construção civil, um dos setores mais intensivos em carbono, estamos a testemunhar passos significativos na direção à descarbonização.


Nos últimos anos, temos observado uma série de tendências e inovações em direção à eletrificação na construção civil. Uma dessas tendências é a adoção crescente de veículos elétricos e equipamentos movidos a eletricidade nos estaleiros das obras. Essa transição está impulsionando a redução da dependência de combustíveis fósseis, contribuindo para uma atmosfera mais limpa e saudável nos locais de construção.


Deixamos aqui alguns dos ultimos exemplos que entraram no mercado.



1- A Tarmac está a reduzir o carbono emitido na manutenção de estradas usando um novo tipo de betume e um veículo elétrico para aplicá-lo.

O pulverizador elétrico da Tarmac foi usado pela primeira vez na A120 em Essex, Reino unido,e está programado para atender a área ao redor da M25.

Foi fornecido pela DE Plant , especialista em equipamentos rodoviários, que colaborou com o fabricante de camiões Volvo e a Schäfer-technic para desenvolver um pulverizador totalmente elétrico.


Os fabricantes alegam que há uma economia de 1,12 kg CO 2 em cada quilômetro.

Como parte do projeto, a Tarmac, subsidiária da CRH, também trabalhou com a BituChem para desenvolver um produto para substituir o betume tradicional. Na ausência de um gerador a diesel para manter o betume quente e pronto para a pulverização, eles criaram o Bondcoat Duo para ser usado como um produto frio, o que significa que a energia da bateria do veículo pode ser conservada, pois não há necessidade de aquecer o betume no local. A National Highways aprovou o uso do Bondcoat Duo na rede rodoviária primária.


O pulverizador elétrico da Tarmac tem uma bateria de 200kw. Tem um alcance de minimo de 160 quilometros por cada carga, mas pode ser totalmente carregado em duas ou quatro horas, dependendo do tipo de ligação de carga.




2 - A Atlas Copco descreve seu compressor de ar portátil B-Air como “um momento decisivo” na descarbonização das máquinas industriais.


O compressor B-Air 185-12O B-Air 185-12 está a ser anunciado como o primeiro compressor movido a bateria do mercado. O B-Air 185-12 tem 5-12 bar de pressão, uma taxa de fluxo estável de 5,4-3,7 m 3 /min e uma capacidade de armazenamento de bateria de 55 kWh. Com menos peças móveis do que uma unidade movida a diesel, o compressor elétrico só precisa de manutenção a cada 2.000 horas, ao contrário das 500 horas de uma unidade tipica movida a diesel. O B-Air 185-12 está programado para entrar em produção em setembro, utilizando um conceito compacto e modular com diversas variantes de autonomia.




3 - A primeira betoneira totalmente elétrica do concluiu um teste de três meses de entregas comerciais em Birmingham para a Tarmac.


E-mixer da Tarmac em Washwood HeathO 'e-mixer', desenvolvido pela Renault Trucks e TVS Interfleet, é o primeiro camião betoneira a operar no Reino Unido com zero emissões de carbono. Está a operar na fábrica Washwood Heath da Tarmac em Birmingham.

A Tarmac disse que “tem ambições” para o eventual uso generalizado deste veículo nas suas operações urbanas." Com a mesma capacidade média de um veículo convencional a diesel , espera-se que o 'e-mixer' economize 42 toneladas de CO 2 por ano, com zero emissões por quilômetro, em comparação com 1,55 kg de CO 2 por quilômetro para seu equivalente a combustível fóssil.

O diretor técnico da TVS Interfleet, Kevin Walker, disse: “Para desenvolver a nova betoneira elétrica, a equipe do TVS Interfleet foi instruida para esquecer completamente tudo o que pensavam, o que sabiam sobre a construção de betoneiras e começar do zero, o que resultou em numa betoneira com várias novas patentes.

Embora o programa inicial fosse obter os benefícios de economia de energia e foco na descarbonização da indústria da construção por meio da eletrificação, outros benefícios também foram obtidos, incluindo uma maior segurança e uma operação mais silenciosa, entre uma longa lista de benefícios que o e-mixer oferece. Em última análise, o lançamento bem-sucedido do e-mixer foi possível por meio da abordagem colaborativa realizada pelas três empresas. Este novo modelo de trabalho define o padrão para desenvolvimento e inovação futuros, e esperamos que continue”.



GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar?





3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page