• Engenho e Arte

O NOVO AVIÃO DE COMBATE AUSTRALIANO NÃO TEM PILOTO



No último fim de semana, a Boeing e a Royal Australian Air Force alcançaram um marco importante nas profundezas do Outback ao fazer o voo inaugural da primeira aeronave militar projetada e fabricada na Austrália há mais de meio século


O drone Loyal Wingman da Boeing funcionará como uma base de teste para o que o fabricante aeroespacial chama de "formação de equipes aéreas", ou voo lado a lado de aviões de guerra tripulados e não tripulados.

O vôo ocorreu em 1º de março, com um piloto a controlar a aeronave remotamente do complexo australiano Woomera Range. A Boeing está trabalhar com o governo australiano e 35 equipes da indústria australiana para desenvolver a aeronave.


A Boeing revelou pela primeira vez o Loyal Wingman em forma de maquete no show aéreo de Avalon de 2019 na Austrália. Desde então, a aeronave tem realizado testes de aterragem, manuseio em solo, navegação e controle, bem como testes da sua interface piloto. A Boeing afirma que a aeronave passou do projeto ao teste de voo em apenas 3 anos, graças ao uso de técnicas de engenharia digital baseadas em modelos .



Durante o voo de teste, a aeronave completou “uma decolagem bem-sucedida com a sua própria gestão antes de voar uma rota predeterminada em diferentes velocidades e altitudes para verificar a funcionalidade do voo e demonstrar o desempenho do projeto do Airpower Teaming System”, disse a Boeing.


O conceito Loyal Wingman prevê aeronaves com e sem tripulação a voar juntas em missões de combate. A aeronave sem piloto poderia voar de forma autônoma numa missão de apoio à aeronave tripulada, carregando equipamentos de interferência, sensores ou mesmo armas ar-ar ou ar-solo.



Um drone não tripulado poderia atuar como os olhos e ouvidos de um caça a jato, permitindo que o jato tripulado desligasse o seu radar e, assim, dificultasse sua deteção. O drone também poderia voar à frente de um caça tripulado, pesquisando sistemas de mísseis terra-ar e abrindo caminho para jatos com humanos dentro. Dois drones também poderiam atuar como carregadores voadores, com jatos tripulados direcionando-os a lançar mísseis e bombas contra alvos.

A Boeing Australia construirá quatro protótipos do Loyal Wingman e usará os seus dados para avançar no seu programa de formação de equipes aéreas. Não está claro se o Loyal Wingman se tornará um sistema operacional neste ponto, embora a Boeing indique que já pode transportar cargas úteis não especificadas.



GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


#avião #aviação #aeronautica #drone #engenharia

105 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo