• Engenho e Arte

UM NOVO MARCO EM AMESTERDÃO


O mais recente edifício em Amesterdão, de nome Sluishuis, foi construído para reivindicar o status de ícone, agora concluído após quatro anos de construção.

Sluishuis, que significa lock house em inglês, é uma estrutura em balanço duplo que forma uma ponte entre IJburg e o centro da cidade de Amsterdão.


Possui 442 apartamentos com pegada de carbono zero, um jardim público na cobertura verde com uma passarela na cobertura, ilhas recreativas, pontões de cais para barcos, instalações para um serviço de catering e um estacionamento subterrâneo de dois andares abaixo do nível da água.


Foi projetado por Bjarke Ingels Group (BIG) da Dinamarca e os holandeses, Dutch Barcode Architects.

Foi construído por uma joint venture da Besix Nederland e Vorm Bouw.


O edifício faz parte do zona de IJburg, um bairro residencial em construção a leste do centro da cidade em ilhas artificiais recuperadas do lago IJmeer.



Dirk Peters, sócio fundador da Barcode Architects, disse: “Com uma arquitetura icônica, bem como novas tipologias de habitação, espaços ao ar livre de alta qualidade e vistas deslumbrantes do IJmeer, Sluishuis é um novo marco para IJburg e Amsterdão”.


Bjarke Ingels acrescentou: “Tendo passado os meus anos de formação como arquiteto na Holanda no final do século 20, parece um regresso a casa agora poder contribuir para a arquitetura da cidade que eu amei e admirei por tanto tempo.


O edificio foi projetado com uma variedade de tipos de apartamentos para diferentes custos e tipos de aluguer. Há estúdios urbanos compactos, apartamentos para desportistas aquáticos e coberturas duplex com vista para o porto e para o lago. A parte em degraus do edifício tem os apartamentos premium com terraços de madeira orientados para o sol com vista para o lago.



A sustentabilidade do Sluishuis é parte integrante do projeto já que gera mais energia do que consome, graças ao isolamento de alto desempenho (com fachada de alumínio), vidros triplos e recuperação de calor nos sistemas de ventilação e águas residuais. O consumo de energia é reduzido ainda mais por um sistema de armazenamento de calor e frio no solo para aquecimento e arrefecimento em combinação com uma ligação ao sistema de aquecimento urbano para as horas de pico. O restante consumo de energia para aquecimento, bombas de calor , ventilação e iluminação LED é compensado por 2.200 m2 de painéis solares, aos quais é dedicada toda uma ilha flutuante adjacente ao projeto.




Além das características sustentáveis do edifício, o Sluishuis visa estimular e fortalecer as relações sociais entre moradores e visitantes. As varandas em degraus incentivam os contactos e trocas de palavras. O passeio público em direção à cobertura, o parque infantil no interior do porto, a paisagem com os molhes e os terraços de madeira promovem encontros espontâneos.


O chefe executivo da Vorm, Hans Meurs, disse: “Se desenhássemos toda a Holanda como o Sluishuis, não teríamos nunca mais um problema de energia e a solidão seria quase impossível. Um projeto de sucesso em todos os sentidos da palavra. Todos trabalhamos com paixão neste projeto. Isto deixa-me muito orgulhoso.


Os materiais de construção contrastam e ligam-se com o ambiente. Foram escolhidos materiais naturais, que dão ao edifício uma aparência rica e natural ao longo dos anos. O alumínio abstrato e sem tratamento da fachada reflete a água e dá ao volume a uma aparência diferente a qualquer hora do dia. Em contraste, os terraços em degraus e a paisagem dos molhes são feitos de madeira que dão uma aparência tátil.

















GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com #arquitectura #engenhariacivil #construcao #construção #amesterdao

144 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo