top of page
  • Foto do escritorJoaquim Nogueira de Almeida

HUMIDADE FATAL, PRUDÊNCIA ESSENCIAL


AS HUMIDADES NA CONSTRUÇÃO SÃO TÃO HABITUAIS QUE QUASE AS ENCARAMOS COMO INEVITÁVEIS EM DADA ALTURA. INFELIZMENTE SÃO MAIS PERIGOSAS DO QUE SE JULGA

Numa conversa com o meu Professor Eng Canha da Piedade, por volta dos anos 1985, em ele afirmava

"as humidades matam mais que os sismos, os problemas que elas provocam na existência de fungos e outras condições não saudáveis, são a causa de milhares de mortos que lentamente morrem, por problemas respiratória e outras patologias associadas"

Recordo esta conversa muitas vezes quando me deparo com demasiada frequência na falta de atenção com que as questões térmicas e impermeabilizações são tratadas.


Não vou abordar neste artigo as questões das condensações provocadas pela falta de isolamento térmico e falta de renovação de ar.



Impermeabilização


Vamos abordar a importância da impermeabilização das coberturas, fachadas, janelas e todos os outros elementos da construção para uma boa utilização dos edifícios.


A impermeabilização é um conjunto de técnicas utilizadas para a proteção de praticamente todas as estruturas da construção, até das fundações e subsolo. O objetivo é garantir a durabilidade da construção, evitando infiltrações, danos estruturais e até mesmo a proliferação de fungos e bactérias, devido à humidade.

A impermeabilização na construção ganha cada vez mais força e recebe a atenção dos profissionais da área, na medida em que se ganha mais consciência da sua importância.


Os edificios que não recebem a aplicação de impermeabilizantes, em pouco tempo começam a apresentar problemas, tais como as conhecidas infiltrações, manchas, humidade, corrosão das estruturas, mofo e bolor, formação de microorganismos. Além disso, a estrutura da obra é comprometida pela corrosão do aço, colocando em risco as vidas das pessoas que lá residem ou frequentam.

Não são raras as reportagens que apresentam desabamentos de edifícios em função da má qualidade de suas estruturas, normalmente ocasionadas pela falta de cuidado com a sua construção e de atenção aos sinais de fragilidade provocada pela diminuição da resistência estrutural provocada pela corrosão do aço. É importante compreender que a água consegue infiltrar-se com grande facilidade, causando grandes e sérios problemas que em irão se manifestar algum tempo depois.

A chuva, a humidade do ar, a poluição e a maresia são grandes inimigas das obras, porém, podem ser evitadas desde que seja realizada a impermeabilização na construção.




Tipos de impermeabilização


Existem dois tipos de impermeabilização: a flexível e a rígida.

A flexível acompanha a estrutura e é indicada para áreas que ficam expostas às mudanças climáticas e que possam vir a sofrer com infiltrações, humidade e fissuração. Esse tipo de impermeabilização pode ser pré-fabricado ou moldada no local. Já a impermeabilização rígida não acompanha a estrutura e, por isso, deve ser utilizada em locais que não sofram com mudanças de temperatura, com as deformações do solo ou que não tenham o risco de sofrer fissuras. Esse método é mais recomendado recomendado para sapatas, vigas de fundação, poços de elevador e caves.




Técnicas de impermeabilização


A técnica de impermeabilização a ser escolhida depende do tipo de superfície que será protegida. As argamassas impermeabilizantes são consideradas um ótimo revestimento impermeável e adequadas para piscinas, rodapés, reservatórios de água e subsolos. A emulsão acrílica, através de uma mistura de polímero acrílico e elastômero, forma uma membrana sobre a superfície e é excelente para ser usada em coberturas, lajes, paredes e floreiras.


Outras técnicas comuns são:

  • Asfáltica: consiste na aplicação de uma camada de asfalto a quente sobre a superfície. É solução mais tradicional e indicada para lajes expostas ao sol ou à chuva, promovendo sempre que possivel a protecção contra os UV , habitualmente com a colocação superfical de areia ou grãos de xisto

  • Cimentícia: consiste na aplicação de uma camada de cimento modificado com polímeros sobre a superfície. É indicada para pisos, banheiros, cozinhas, piscinas, reservatórios e caves.

  • Manta asfáltica: consiste na aplicação de uma manta pré-fabricada de asfalto modificado com polímeros sobre a superfície. É indicada para coberturas, terraços e varandas.

  • Hidrofugantes ou hidrorrepelentes: consistem na aplicação de produtos que formam uma película protetora sobre a superfície, impedindo a penetração de água. São indicados para fachadas, telhas e tijolos.

  • Resina epóxi: consiste na aplicação de uma resina sintética que forma uma camada impermeável e resistente sobre a superfície. É indicada para pisos industriais, comerciais e residenciais.

  • Membranas sintéticas: consistem na aplicação de membranas flexíveis de PVC, polietileno ou poliuretano sobre a superfície. São indicadas para lajes, piscinas e reservatórios.



Onde aplicar a impermeabilização


A impermeabilização deve ser aplicada em todas as partes da construção que possam estar sujeitas à humidade ou à infiltração de água, desde a fundação até o acabamento. Algumas das áreas mais comuns são:

  • Fundações e subsolos: devem ser impermeabilizados com sistemas rígidos ou flexíveis, dependendo do tipo de solo e da carga estrutural. O objetivo é evitar a humidade ascendente e a corrosão das armaduras.

  • Lajes e coberturas: devem ser impermeabilizadas com sistemas flexíveis, como mantas asfálticas ou membranas sintéticas, para evitar infiltrações pela chuva ou pela condensação do vapor da água.

  • Fachadas e janelas: devem ser impermeabilizadas com sistemas hidrofugantes ou hidrorrepelentes, para evitar manchas, descoloração e deterioração dos revestimentos.

  • Banheiros e cozinhas: devem ser impermeabilizados com sistemas flexíveis ou cimentícios, para evitar infiltrações de água pelas tubagens, ralos e juntas.

  • Piscinas e reservatórios: devem ser impermeabilizados com sistemas flexíveis ou cimentícios, para evitar perdas de água e contaminação do solo.



Conclusão


A impermeabilização é um processo essencial para garantir a qualidade, a durabilidade e a segurança das construções. Ela evita problemas como infiltrações, humidade, corrosão, mofo e bolor, que podem comprometer a estrutura e a saúde dos ocupantes. Além disso, ela ajuda na estética das edificações, valorizando os espaços e contribuindo para ambientes bonitos e saudáveis.

Existem diversos tipos e técnicas de impermeabilização no mercado, que devem ser escolhidos de acordo com as características da superfície a ser protegida. A impermeabilização deve ser planeada desde o projeto à obra e executada por profissionais qualificados e experientes.

Esperamos que este artigo tenha sido útil para entender a importância da impermeabilização das coberturas, fachadas, janelas e todos os outros elementos da construção para uma boa utilização dos edifícios.


Lembre-se que há técnicos com experiencia no encontro das melhores soluções de impermeabilizações para cada caso. Não hesite em socorrer-se desses profissionais que podem evitar-lhe grandes dissabores na sua propriedade.



GOSTOU? então coloque um "gosto" e partilhe para os seus amigos

Tem uma história para partilhar? email EngenhoeArte@yahoo.com


Joaquim Nogueira de Almeida


ARTIGOS DO MESMO AUTOR:

MOLDANDO O MUNDO COM IMPRESSÃO 3D - O FUTURO NA CONSTRUÇÃO


18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page